FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL – JURISTA FAMOSO, LUIZ FLÁVIO GOMES, REAPRESENTA A IDEIA COMO SE FOSSE SUA

DOS ESCLARECIMENTOS SOBRE A CRIAÇÃO, OFICIALIZAÇÃO E PROVAS PERTINENTES DA FORMATAÇÃO E SINTETIZAÇÃO QUE CONSOLIDARAM A CAMPANHA E PETIÇÃO PÚBLICA PARA O FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL (SEM INTERFERÊNCIA DE PARTIDO POLÍTICO):
– Assine a petição pública original: http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=P2012N25471

PETIÇÃO PÚBLICA
Saiba mais sobre as justificativas de criação, diretrizes e fundamentos da campanha distribuídos em 63 cláusulas: https://midiaticosensorial.com/gestao-do-presente-campanha-fim-do-politico-profissional-assine-a-peticao-publica/

Pensamento maior, de onde surgiu a ideia – Criar um novo cidadão preocupado com os valores e princípios éticos que norteiam a pura essência da cidadania: http://www.homemarketing.com.br/service04%20-%20Prog%2017-FUR-FOCO3-3-1%20ASSINE%20PET%20PUBL%20FIM%20POL%20PROF.htm

– Chegando atrasado, não que pareça agir sob efeito de uma espécie de ímpeto marqueteiro, mas sem observar as ações dos lutadores das primeiras horas, que há mais tempo lutam pela implantação da ideia para o “fim do político profissional”, um renomado jurista-empresário de São Paulo a “reapresenta” como se fosse de sua criação. Não queremos dizer que se trata de um oportunista, isso seria muito forte, o que deve ter ocorrido foi alguma falta de zelo por não verificar que já tinha gente comprometida trabalhando no mesmo sentido.

Cinco anos depois de ter sido oficialmente criada no Brasil, através de provas objetivas e consumadas em cartório de Belo Horizonte, inadvertidamente, o referido jurista trombou e atropelou os que há mais tempo já vinham e vêm lutando para que o político profissional perca toda essa importância que se tem no nosso país. Ou seja, sem interagir com o meio e com as pessoas, sem oferecer algo novo, em vez da esperada agregação de valores, o jurista dividiu os esforços já acumulados, desmereceu as experiências vividas e desprezou o que já estava pronto. Isso, como se apenas ele fosse o dono de toda a situação.

– Conforme matérias produzidas pelo baixo e alto clero da aristocrática imprensa brasileira, inclusive no próprio blog do jurista, está explícito que o mesmo havia lançado a ideia do fim do político profissional em julho/2014. Isto não é verdade, por isso estamos aqui para melhor esclarecer os fatos.

– Para saber o nome do jurista-empresário, basta procurar no Google. No STF, está cheio de jurista-político, jurista-partidário e outros.

DA CRIAÇÃO OFICIAL:

1) O documento original e oficial da criação da ideia sobre a CAMPANHA FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL foi protocolado com o nº 995680 em 19/08/2009, no Cartório 2º Ofício de Documentos e Títulos – Rua Guajajaras, nº 197 – Centro – Belo Horizonte – Brasil, evidenciando que faz parte da CAMPANHA GERAL TEMPOS DE DEPURAÇÃO http://temposdedepuracao.blogspot.com.br/, registrada no mesmo cartório com nº 970628 em 01/12/2008. O documento de oficialização da CAMPANHA FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL registra todas as justificativas, diretrizes e fundamentos distribuídos em 63 cláusulas, que iniciaram e sacramentaram a primeira ideia sobre o “fim do político profissional” em todos os níveis da vida política do Brasil.

2) A primeira petição pública do Brasil para o fim do político profissional foi criada no dia 04/06/2012 no sistema Google Petições (http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=P2012N25471)
Temos farta documentação obtida através de print screens, fotografias de telas, e links diversos provando a existência e funcionamento dessa petição, elogios e manchetes em vários jornais eletrônicos que circulam na Internet.
No início de 2013, na Comunidade Avaaz, criamos a mesma petição http://www.avaaz.org/po/petition/FIM_DO_POLITICO_PROFISSIONAL/
Nesta mesma comunidade, foi permitido que o senhor jurista criasse praticamente a mesma petição e de mesmo nome, efeitos e objetivos.

3) Também em 2009, criamos e registramos todos os domínios denominados como http://www.fimdopolíticoprofissional.com (.biz, .net, .info, e .org); wwwfimdopolíticoprofissionalcombr; http://www.fimpolíticoprofissional.com.br (.biz, .net, .info, e .org). Temos os documentos oficiais de criação e pagamentos provando a propriedade desses domínios. Na época, para efeito do proteção de nomes, usava-se a compra conjunta das terminações (.com, .biz, .net, .info, e .org). Mais tarde resolvemos ficar apenas com a terminação (.org) que é mais condizente com os objetivos da campanha. Isso, também como forma de incentivar a propagação da ideia do “fim do político profissional” no Brasil. A ideia só teria aceitação se mais e mais pessoas tivessem acesso à divulgação.

4) O domínio http://www.fimdopolíticoprofissional.biz (que era para ter a terminação “.org” hospedou o BLOG FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL que ficou no ar de 2009 a 2013, quando “foi desaparecido” dentro do Google/Blogger, fato que faz parte de um processo judicial que tramita na Justiça do Brasil. Em julho/2009, o automático do Google/Blogger pegou o primeiro domínio criado (.biz) e o colocou como básico do blog, tentamos fazer a mudança para (.org) e o sistema não aceitou.

5) Também temos muitas provas de que o primeiro nome do nosso Twitter, hoje conhecido como POOL SOCIAL POLÍTICO – @POOLSOCIALPOLIT, foi criado em 2009, primeiramente com a denominação de FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL (@fimpoliticoprof) quando o blog ainda era acessado pelo domínio http://fimpoliticoprofissional.blogspot.com/. A mudança do nome será explicada no item a seguir.

6) Do criador da campanha e petição pública: Aloísio de Souza é um senhor de 66 anos que trabalha como auditor de grandes empresas há mais de 35 anos. Administrador de empresas e matemático, completamente é avesso às badalações tão comuns às pessoas aparecidas. Especialista em mercado de capitais, foi o editor principal do Blog da Coluna Editorial Prontanálise que funcionou no Google Blogger de 2009 a set/2012. Teve seu domínio http://www.prontanalise.biz desaparecido na Internet quando usufruía de 175.000 curtições de conteúdo, o que na época, representava 35% do que havia recebido o portal O Globo. Autodidata em várias matérias, principalmente marketing, desde 2003, seus livros estão editados no site http://www.homemarketing.com.br, onde estão sendo desenvolvidos os estudos sobre desafios do marketing e comunicação, emblemáticos positivos e negativos, e ainda comunicação que ensina, também reproduzidos no presente blog (https://midiaticosensorial.com/).

A MENTE ESTADISTA TEM QUE PREVALECER SOBRE A VAIDADE INDIVIDUAL E O CURRÍCULO COMERCIAL

POR QUE ESTAMOS TENDO A NECESSIDADE DE FAZER ESSES ESCLARECIMENTOS?

Justamente para atender aos nossos leitores, não acreditamos que o ser humano esteja perdendo a capacidade de interagir, isso porque depois de amar, a maior qualidade do homem é negociar. Ou seja, ninguém consegue negociar se não tiver interagindo com a outra parte, pelo menos para distinguir as necessidades. Aliando essas necessidades com as próprias, chega-se à aproximação dos objetivos e consequentemente o famoso “ganha-ganha”. Quase tudo é uma questão de ponto de vista, e não há melhor arejamento para a cabeça quando depara-se com o invejável currículo comercial de um renomado jurista, que também lança a campanha pelo fim do político profissional. A visão empresarial ofusca o querer do coração.
Ora bolas, mesmo que demore cinco anos, qualquer cidadão de bom senso pode lançar uma campanha nesse sentido, a democracia existe justamente pelo senso de liberdade do ser humano à luz do puro significado dos direitos e deveres.

EM TERMOS PRÁTICOS, QUEM REALMENTE TEM AMOR À IDEIA E DESEJA A SUA ACEITAÇÃO E IMPLANTAÇÃO, OBVIAMENTE, NÃO PODE DESPREZAR ESSA PRECIOSA AJUDA VINDA DA IMPRENSA, MESMO QUE SEJA EMPRESARIAL.

Mesmo sabendo, há mais tempo, da existência desse movimento para o fim do político profissional, o alto “clero da imprensa” não tinha feito qualquer comentário que pudesse impulsionar a ação. Apesar de estarmos, há mais tempo, transmitindo a ideia do fim do político profissional, em abril/2014, foi a primeira vez que assistimos ao vivo a um comentário vindo alguém ligado a imprensa.
Na nossa petição, você pode verificar as opiniões de vários signatários, e o que tem chamado atenção são as sugestões de que o movimento deveria ter mais divulgado e ter mais cobertura da imprensa lúcida.
Tudo é uma questão de ponto de vista, só porque primeiro registramos oficialmente a formatação da ideia no Brasil, não quer dizer que temos prioridade sobre ela, em 2009, lançamos a campanha para o FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL, em junho/2012, sacramentamos a petição pública de mesmo nome.

Atualmente, o brasileiro está mais acessível e melhor aceitando a “mudança maior” que significa a campanha para o fim do político profissional. Outrora, não muito longe, 2009, 2010, 2011 e 2012 fomos escorraçados e chamados de loucos por atrevermos a divulgar a ideia.

Agora em julho/2014, conforme registrado pela imprensa, assistimos ao lançamento da ação PELO FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL movida pelo referido jurista. Ou seja, transferimos a ele todos os elogios que outrora recebemos, é gratificante saber que “tem gentes” que também pensa grande. Transmitimos aqui toda a nossa admiração, e isso já foi demonstrado na postagem do dia 09/04/2014 (https://midiaticosensorial.com/2014/04/09/campanha-para-fim-do-politico-profissional/), onde tecemos elogios para a chamada feita no Jornal da Cultura em 08/04/2014).
A campanha FIM DO POLÍTICO PROFISSIONAL tem uma magnitude muito nobre exigindo uma mente estadista retratada num currículo intelectual. Você não pode leva-la em frente agindo com um currículo puramente comercial, sob pena de perder no final. Hoje, as ações marqueteiras são facilmente perceptíveis pelas pessoas, por traz das belas palavras e atitudes mirabolantes, visam mais o proveito próprio e o preenchimento de vazios de personalidade que se alimentam da cabeça cheia de vaidades. Muitas pessoas de bem agem assim na Internet, o que causa dúvida sobre seus pensamentos e atitudes. Esta foi uma das razões da criação do PROJETO HOMEM MARKETING no ano 2000. Justamente para diferenciarmos dessa maioria, primeiramente, tudo que produzimos é registrado em cartório (provando a credibilidade através de documentos reais e objetivos).

Quando falamos em divisão dos esforços e suores, isso pode ser medido em números. Neste momento, 07/08/2014 – 19:07 hs, conforme print screen tirado da petição do jurista, a quantidade de assinaturas é de 3.833.
Nossa petição no Google já conta com 4.117 assinaturas, mais 332 na Comunidade Avaaz. Se tivéssemos trabalhando em conjunto, teríamos 8.282 assinaturas, o que provocaria uma força de adesão muito maior que trabalhar individualmente.
Faça o bem, não olhe a quem, marketing sem fronteiras a serviço das comunidades, dos negócios e da felicidade das pessoas.
Trabalhe mais, faça mais e permita que outros façam.
A simplicidade nunca fica sozinha.
Mãos que pensam, pés que enxergam
Chacattis Tadadota
Continua…

Agradecemos seu comentário, seja breve, interaja e volte sempre.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: