Do que o brasileiro “não gosta”, “é contra” e “não quer mais”

MÃOS QUE PENSAM, PÉS QUE ENXERGAM (HANDS THAT THINK, FEET THAT SEE)

Atenção: Não clique nos links internos.

Fluidos de interatividade com as mudanças dos novos tempos. Quem comunica a vida o faz com a eternidade.

Fluidos de interatividade com as mudanças dos novos tempos. Quem comunica a vida o faz com a eternidade.

A penúltima reprodução da presente matéria ocorreu em 2 de junho de 2011 – DO QUE O BRASILEIRO “NÃO GOSTA”, “É CONTRA” E “NÃO QUER” (1) (OF THE ONE THAT BRAZILIAN “DOESN’T LIKE”, “IS AGAINST” AND “DOESN’T WANT”), conforme a sequência dos links:

1)    http://www.fimdopoliticoprofissional.biz/2011/06/do-que-o-brasileiro-nao-gosta-e-contra_7724.html

2)    http://www.fimdopoliticoprofissional.biz/2011/06/do-que-o-brasileiro-nao-gosta-e-contra_02.html

3)    http://www.fimdopoliticoprofissional.biz/2011/06/do-que-o-brasileiro-nao-gosta-e-contra.html

Todos esses discernimentos foram criados no Livro 1 – A LÓGICA VERSUS O EMOCIONAL/2001, de autoria do Sr. Chacattis Tadadota, que serviu também de base para a formação da alma do PROJETO HOMEM MARKETING.

Sim, somos contra, não gostamos e não queremos, veja os 13 itens integrantes desta matéria.

A – As ações impostas pelo faro pedante e discriminatório dos falsos intelectuais esquerdistas, que se vestem com o verniz da contradição, defendendo horizontes abstratos e inconsistentes que nem mesmo eles acreditam, inflamando o efeito estouro da boiada, escondidos por trás de frases engenhosas, que encobrem a verdadeira ética em defesa do proletariado.

Somos contra os falsos patriotas esquerdistas com as suas ideias incompreensíveis à dignidade e à humildade do cidadão comum, que são contra o estado de direito e a realidade da globalização.

Esses tipos de intelectuais são os pregadores cujas palavras funcionam como lavagem cerebral para os puros desavisados e estímulo inescrupuloso para os que desprezam o tempo e curtem a liberdade inconsciente e inconsequentemente.

B – As ações da ganância corporativa do capitalismo internacional que para se perpetuar sobre a soberania das nações menos favorecidas, construíram as formas de corporativismo insinuado, planejado pela mente bandida para ser um mandamento de conduta de sobrevivência nos tempos modernos.

Mas que, na verdade, toda essa estrutura de domínio corporativo foi erguida sobre os pilares das mentes treinadas para fraudar os balanços das empresas, espalharem o terrorismo financeiro sobre as nações endividadas, fabricando crises sequenciais desestabilizadoras do crescimento holístico dos povos.

Essas perversidades corporativas do capitalismo internacional, aliadas às nossas elites despreparadas, vêm utilizando-se de um marketing traiçoeiro, distribuidor de promessas enganadoras que aliciam os políticos vestidos de patriotas. Muitos, dispostos a venderem a dignidade do seu país ao capitalismo inescrupuloso, em nome de um falso desenvolvimento econômico, sustentado na agiotagem e no poderio financeiro dos verdadeiros patrões conquistadores, cujas armas se fundamentam na desorganização social como aposta de eliminação do poder de reivindicação do povo.

Somos contra os falsos patriotas direitistas, representantes da agiotagem internacional, que compram os políticos, os gerentes e os governantes do terceiro mundo, miram no alvo da solução e acertam a torcida alienada, são pseudo-intelectuais tecnocratas, que se utilizam de uma política entreguista dos recursos de sobrevivência do povo mal pago, faminto e ignorante.

O QUE VOCÊ NÃO QUER MAIS:

1 – As aplicabilidades das leis que formam essa intrincada teia para proteger os bandidos e espertinhos fabricantes do imoral legalizado. A forma do oportunista se proteger é destruindo a capacidade de segurança do estado, complicando o entendimento das leis pelos subterfúgios de proteção e exceções aos poderosos, para escapulir das penalidades, dos impostos e usufruir de subsídios, tudo em aparente normalidade dos comercialmente e legalmente justos sem prestar contas. É muito comum no Brasil o oportunista, legalmente protegido, beneficiar-se das anistias planejadas de impostos. A própria justiça está preparada para postergar as aplicações das penalidades objetivas das leis. Chegando ao cúmulo da própria constituição estabelecer explicitamente que “ninguém será culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória;”  Inciso LVII do Artigo 5º da Constituição Federal – Título II – Dos Direitos e Garantias Fundamentais, Capítulo I Dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos. Em suma e na prática, existe a desautorização predeterminada dos julgamentos efetuados pelas instâncias inferiores. O STJ e o STF são os portadores do veredicto final intransferível que se propaga através de jurisprudências, que até mesmo servem para consertar “outras jurisprudências mandamenteiras” anteriormente válidas. Enquanto isso, assistimos a um desfile descomunal de recursos prorrogadores e até mesmo anuladores das penas aplicadas aos legitimamente culpados. Ou seja, não tem mais como adiar a reforma completa das leis brasileiras.

2 – As imposições imperialistas dos poderosos aos menos favorecidos, através de políticas de juros altos, impostos extorsivos, de achatamento salarial como forma de baixar os custos das empresas, preços exorbitantes como forma de financiamento das empresas mal geridas, tudo isso sob o consentimento de leis mal feitas que protegem apenas os poderosos.

3 – A conquista pelas opressões da agiotagem internacional sobre a cultura dos povos, incentivadoras das discriminações e/ou constrangimentos intelectuais, religiosos, políticos, sociais, raciais, sexuais, profissionais e devido à saúde e à idade das pessoas, que se perpetuam em chamar o pobre de consumidor.

4 – O terrorismo financeiro da agiotagem internacional que impõem as intervenções financeiras, comerciais e políticas contra os países subdesenvolvidos como forma de destruir a concorrência e manter as suas hegemonias escravocratas. A canalhice é tanta que há discriminações, quando os países pobres buscam equilíbrio econômico e financeiro ao desvalorizar suas moedas perante o dólar. Os maiores valores dos itens orçamentários dos eternos governantes são destinados aos pagamentos de juros pela rolagem das dívidas interna e externa. Enquanto isso, a população é crucificada nas ruas e nas casas, pessoas morrem nas estradas mal projetas, consomem produtos caros e ruins e, acima de tudo, com falta d’água e energia elétrica, etc.

5 – As ações corporativas desestabilizadoras da formação da índole do cidadão em prejuízo da evolução moral e cultural das famílias e consequentemente das sociedades. Cujo instrumento mais comum de destruição é, intencionalmente, utilizar mal os meios de comunicação e entretenimento, através de um marketing traiçoeiro que desvirtua a democracia e os direitos humanos, extraindo dos cidadãos o poder de reivindicação pelo desvirtuamento da cultura de amar a pátria mãe, através de baixos investimentos em saúde, saneamento básico, segurança, transportes, energia e educação.
6 – As ditaduras ou qualquer forma de domínio ou segregação através de imposições religiosas que oprimem o direito de livre expressão dos povos.
7 – A qualquer forma de destruição dos seres e da natureza.
8 – As pregações impostas pelos falsos profetas que fazem fortunas em cima do Evangelho e tanto desvirtuam a essência da palavra de DEUS.
9 – A qualquer forma de desorientação do consumidor devido à modificação genética dos seres e dos alimentos. Inclusive, o desenvolvimento de estudos e ações que incentivam o mau uso da genética como fator de artificialização das raças, prematuramente inteligentes, sem um estudo mais profundo das consequências sobre o futuro da sobrevivência e convivência humana.
10 – A Qualquer tipo pernicioso de agentes globalizantes tal como a droga, mau uso da Internet, propagandas enganosas, filmes libidinosos e violentos de alta tensão e ainda as modas sexualmente apelativas e violentas.
11 – Os falsos aprimoramentos e omissões do desenvolvimento das tecnologias, como forma de manutenção de hegemonias estratégicas e comerciais. Especial atenção para os casos dos cartéis das tecnologias do petróleo, química fina e informática, protegidos por patentes que impeçam a cura de doenças, desenvolvimento intelectual e o bem estar dos seres e da natureza em geral, principalmente, quanto á destruição da camada de ozônio.
12 – A quaisquer tipos de discriminações e/ou constrangimentos intelectuais, religiosos, políticos, sociais, raciais, sexuais, profissionais e devido à saúde e idade das pessoas.
13 – A escravidão humana ou qualquer tipo de trabalho forçado, principalmente de crianças.

Chacattis Tadadota

Continua…

Postado por POOL BUSINESSES HUMAN às 10:24    02/06/2011

Agradecemos seu comentário, seja breve, interaja e volte sempre.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: