FATOR PREVIDENCIÁRIO, CHANTAGEM EMOCIONAL QUE PROPICIOU UMA RETIRADA DE R$ 55 BILHÕES DOS SALÁRIOS DOS APOSENTADOS PARA ALIMENTAR A CAIXA PRETA DO INSS E OUTROS GASTOS ALHEIOS À PREVIDÊNCIA SOCIAL

TANTO É DIFÍCIL ENTRAR NA CAIXA PRETA DO INSS QUANTO É QUASE IMPOSSÍVEL FINGIR QUE NÃO EXISTE.

caixa preta
O QUE DIFICULTA A BOA GESTÃO DO SEGURO SOCIAL SÃO AS MORDOMIAS E OS DESVIOS DAS FINALIDADES E NÃO AS MIXARIAS QUE SE PAGA AOS VELHINHOS APOSENTADOS.

NOVA PROPOSTA PARA OS PLANOS DE APOSENTADORIA DO INSS

Para receber 100% do salário da ativa, as proposições das somas da idade do trabalhador e tempo de contribuição que devem totalizar 85 anos para mulher e 95 para os homens, na realidade, é uma conta de chegada justa que já retarda a aposentadoria precoce. Com 60 anos de idade e 35 anos de contribuição, o homem ganha o justo direito e usufruir a vida, mesmo depois de velho. Se você tirar fora as discrepâncias, terá uma situação mais realista com a época atual:
– Se você tem 50 anos, precisaria ter trabalhado 45 para se aposentar, logicamente, teria que ter começado com 5 anos o que é totalmente impossível.
– Se você tem 55 anos, precisaria ter trabalhado 40 para se aposentar, logicamente, teria que ter começado com 10 anos o que é totalmente impossível também.
– Se você tem 59 anos, precisaria ter trabalhado 36 para formar a soma de 95 para receber 100 % do salário.
– Se você começou a trabalhar com 20 anos, o que é perfeitamente possível, com 55 anos e 35 de contribuição só consegue completar a soma de 90. Teria que trabalhar mais 5 anos e aposentaria com 60 anos de idade 40 de contribuição formando a soma de 100.

O FATOR PREVIDENCIÁRIO foi implantado no ano 2000, foi uma covardia sem precedentes feita contra os trabalhadores, jogando ainda uma fórmula matemática de redução em cima dos parâmetros acima citados fez com que as aposentadorias fossem reduzidas para a metade do salário da ativa.

FARSA DO AUMENTO DA EXPECTATIVA DE VIDA DOS BRASILEIROS, O GRANDE FILÃO PARA DIMINUIR O VALOR DAS APOSENTADORIAS:

No cálculo para diminuir o valor das aposentadorias, também vem sendo considerado com todas as pompas o “aumento da expectativa de vida dos brasileiros”. Haja foguetes e comemorações fantasiosas, de tal forma que arrumaram um jeito de que a média dessa tal expectativa aumente a cada ano, e de tal sorte que dura até além da morte. Pura malandragem, o cara já morreu e sua expectativa de vida continua aumentando. Realmente, o Brasil mata o velho, sim, é o país da piada pronta.

Também por isso que os números divulgados pelo governo mentiroso não são mais confiáveis, tudo virou piada, sejam os índices de inflação e os que medem os desempenhos dos setores da economia. Cara de pau, a vigarice sem qualquer vergonha de sair bem na foto. Está provado no Tribunal de Contas da União que nas pedaladas fiscais, o governo tirou até dinheiro até do FGTS, quem garante que não o fez com o INSS.

A “expectativa de vida aumentou”, quase sempre a imprensa comprada faz esse alarde nos holofotes diários. Divulga essa aberração sem qualquer tipo de constrangimento, repete e repete, “o brasileiro está vivendo mais”, mesmo que aconteçam 53.054 ou 64.357 homicídios por ano, dependendo da fonte de consulta/2012, e mesmo que aconteçam 44.812 mortes anuais no trânsito (registro de 2012). São números assustadores divulgados com a maior naturalidade por essa imprensa que deixa o povo lutar sozinho contra o crime organizado que vem governando o Brasil.
Uma imprensa fajuta que não tem coragem de dar ênfase a essa matança descomunal de inocentes, faz propaganda de que o brasileiro está vivendo mais. Com isso, em vez de lutar contra quem o escraviza e mata, os brasileiros aplaudem seus algozes.

FOI CRIADO NA SOCIEDADE BRASILEIRA O EMBLEMÁTICO NEGATIVO DE QUE OS VELHINHOS FAZEM PARTE DO PESO A SER DESCARTADO PARA QUE A BONANÇA SE PROLIFERE.

As aposentadorias pagas e outras despesas do INSS – INSTITUTO NACIONAL DE SEGURO SOCIAL sempre formaram o rol caixas pretas que os governos escondem sob a segurança de sete chaves, a ponto de se formar uma crença popular negativa sobre a aura do nome INSS. Vários estudos de perdas e ganhos foram feitos dependendo do partido que está no governo ou na oposição. Se está na oposição, o partido prova que existe ganhos na previdência social, no governo, inverte a situação para perdas futuras irreparáveis escondendo os desvios para outras finalidades. Existe uma confusão explícita nos componentes da conta e mistura de assistência social com seguro social. Fora os enxertos que vão sendo adicionados ao bel prazer da politicagem sem compromisso com a gestão atuarial do negócio.

A falta de coerência e transparência nas contas públicas é o esconderijo predileto desse governo, inclusive, é o que se prova nas pedaladas fiscais que foram feitas para engabelar os resultados de 2014 e que estão sendo julgadas pelo TCU (Tribunal de Contas da União). Que só isso já seria um motivo gravíssimo para se pedir o impeachment da presidente em exercício. Os prejuízos feitos aos cofres públicos podem chegar à casa dos R$40 bilhões ou mais, num total desrespeito à Lei de Responsabilidade Fiscal que deve ser obedecida pelos mandatários das três esferas executivas. No caso específico as famosas pedaladas, o Governo Federal mandou que o Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal pagassem as despesas de vários programas sociais tal como Minha Casa/Minha Vida, mas posteriormente, não passou o dinheiro para os bancos que foram obrigados a arcar com as despesas de exclusiva responsabilidade do Tesouro Nacional. Esses fatos ficam ainda mais nebulosos quando numa época de eleições, há indícios de que os valores tenham sido consumidos indevidamente nas despesas eleitoreiras do PT. Esses prejuízos ainda podem ser acrescidos com outras pautas nebulosas que esconderam e jogaram para frente várias decisões operacionais que impediram o aumento da gasolina.

INACREDITÁVEL, UM PAÍS DE MILIONÁRIOS GERENCIADO POR TRABALHADORES!

Ao mesmo tempo que a Presidente Dilma sancionou o Orçamento com uma emenda que triplica a verba do fundo partidário que passou de R$ 289 para R$ 867,5 milhões, também propõe cortes através de um ajuste fiscal que mais parece uma teia de aranha para enganar mosquito bobo.

Ao mesmo tempo que a Presidente Dilma mantém um gasto recorde de despesas do governo, o investimento fica estagnado. Conforme dados de 2013, a gigantesca máquina administrativa consome R$ 611 bilhões por ano. Para se ter uma ideia os cargos comissionados no governo chegaram a 22.417, um recorde desde 1997, quando começou a série histórica.

Ao mesmo tempo que a Presidente Dilma lançou o tal de ajuste fiscal, para diminuir o impacto negativo, às pressas, lançou junto um plano novas concessões e prevê investimentos de R$ 198,4 bilhões. Antigamente tinha uma expressão interessante, “só para inglês ver”, pois desse total, apenas R$ 69,2 bilhões devem ser aplicados entre 2015 e 2018. O que é muito pouco para se ter um crescimento sustentável, entre 4% e 5% ao ano (o país deveria elevar essa taxa para pelo menos 25% do PIB). Se considerar o PIB de R$ 5,521 trilhões, o investimento previsto pela presidente é de apenas 1,253% em 4 anos.

Então, quando se ouve falar em ajuste fiscal em plena continuidade de um governo velho, para os leigos e desatentos, pode parecer uma necessidade em prol de uma boa governança, quando na verdade é apenas um artifício para tampar o buraco dos monstruosos prejuízos produzidos pela má gestão do governo petista. Por exemplo, não sabe de onde tirar os R$ 66,3 bilhões, destinados a pagar os juros da dívida pública em 2015. Então o ajuste fiscal é mais facilmente entendido como cortes nos orçamentos governamentais ou cortes nas despesas de um modo geral, por exemplo, tais como no seguro desemprego, abono salarial, benefício pago ao pescador durante o período de pesca proibida, fim dos repasses ao fundo da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), R$ 9 bilhões/2015. No Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) está prevista a redução de R$ 7 bilhões, no BNDS o governo reduziu sua participação em financiamentos e aumentou as taxas de juros de longo prazo (TJLP), reduziu os benefícios para exportadores de produtos manufaturados prevendo uma economia de R$ 1,8 bilhão. O governo enviou ao Congresso a MP 669 que reduz a desoneração da folha de pagamentos das empresas, aumentando as alíquotas de contribuição previdenciária, ou seja, para as empresas, vai ficar mais caro manter funcionários. Isso significa uma receita extra de R$ 5 bilhões no caixa da previdência em 2015 e R$ 12 bilhões em 2016. No caso do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre os automóveis o governo voltou com a chamada alíquota cheia, e no caso do IOF, o governo espera arrecadar R$ 7,38 bilhões neste ano aumentando a alíquota de 1,5% para 3% ao ano. Também tem expectativa de arrecadar R$ 12,18 bilhões/2015, com o aumento do PIS, Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre os combustíveis. Conte outras medidas paliativas e inclua um monte de incertezas plantadas por esse governo que se faz de trapalhão para se esconder da própria malandragem. Desatentamente, você pode até achar que tem austeridade nessas medidas do governo, quando na realidade esse não é o ponto central da polêmica, a leitura que se faz é sobre a preocupação do governo de manter a máquina pública enxertada em detrimento dos investimentos e diminuição da poupança.

Máquina pública mais cara significa tudo dominado, legislativo e judiciários comprados, leis em vigor a favor da proteção e blindagem completa do governo com o funcionalismo trabalhando para manter ou aumentar o “status quo”, os salários do setor público são muitos maiores dos que são pagos pelas empresas e nas aposentadorias, ninguém ousa a mexer. Funcionário público continua ganhando uma fortuna depois de aposentado.

Não existe um lugar no mundo onde os deputados e senadores têm os salários e mordomias maiores do que se paga no Brasil. Junte aí os salários dos juízes, Ministros de Estado e tribunais.

Quando você reflete sobre o peso da máquina pública no Brasil ou que pode ser chamado de consumo do governo verifica que alcançou 22% do PIB em 2014; enquanto que no Chile, o setor público representa 12%, 16,7% na Colômbia e 10,8% no Peru. Na média, a administração pública representa 21,6% do PIB, sob a ótica da demanda, na União Europeia. Nos Estados Unidos a fatia é de 18,6%

DIANTE DESSES VALORES, O FATOR PREVIDENCIÁRIO É MIXARIA, SEM CORTAR NA PRÓPRIA CARNE, O GOVERNO MAIS UMA VEZ DEIXA O ÔNUS SÓ PARA OS TRABALHADORES:

O sentido da manutenção do fator previdenciário vale mais para fantasiar a austeridade governo, (é a mesma coisa que cortar o cafezinho para mostrar força de controle), o chefe mostra-se forte e seguro para tomar uma medida tão impopular, mostraria ao público que tem uma governança séria a ponto de não ter medo de cortar a própria carne.
No dia 15 o Ministro da Previdência, Carlos Gabas, para dourar mais a pílula e com um palavreado todo enrolado e misturado com cifras astronômicas de trilhões de reais, sem convencer, estava fazendo uma explanação para justificar a manutenção do fator previdenciário.
Nesse país das discórdias e imprevistos, dos absurdos e inusitados, das instabilidades e imediatismos, qualquer um que chegar com um “número mais ou menos certo” vira rei. Então, quem está no governo transformou o roubo praticado contra os aposentados em economia para os cofres públicos oriunda da implantação do fator previdenciário.
Do ano 2000 até 2011, em onze anos, o governo diz ter economizado o total de R$55 bilhões ou R$5 bilhões por ano. Esse valores parecem colossais. Porém, essas cifras ficam insignificantes perto do rombo de R$88 bilhões praticados em quatro anos na Petrobras juntando a conta Petróleo. Sem juntar a conta petróleo e mudando para as outras obras e investimentos do governo, chega-se a uma suspeita grave de que a corrupção total no Brasil tem uma média anual de pelo menos R$42,750 bilhões, ou seja, que os brasileiros poderiam ser sócios majoritários dessas empreiteiras que formam a corte do poder.

Dentro desse raciocínio, está o fato da rapidez como os bandidos explicaram a existência da taxa de apenas 3% sobre os contratos, logicamente, para o caso de tornarem mais fácil devolução do dinheiro roubado. A prática universal nesse tipo de desvio está minimamente calculada em torno de 30%, há casos de 100% ou mais. Baseando nisso em fevereiro deste ano, nós calculamos que R$42,750 bilhões seriam o montante médio anual de roubo, posteriormente, a FIESP afirmou que corrupção provocava prejuízo de R$ 50 bilhões por ano ao BRASIL. Em termos de estimativa os valores não estão muitos distantes e são muitas vezes superiores a tão propalada economia gerada pelo fator previdenciário.

Então, a conta previdência tem uma longa história, esse “disse-me-disse” é uma boataria que vem proporcionando verdadeiros achaques no bolso dos trabalhadores justamente na hora de sua maior fragilidade, quando já está velho e doente.
Do jeito que o pessoal da Rede Globo vem dando ênfase, você tem a nítida impressão que ficar velho é pecado. Certa vez, fizemos a Mirian Leitão engolir suas justificativas contra a baixa dos juros e estamos dispostos a chama-la para provar tecnicamente que os pobres velhinhos são os responsáveis pela derrocada do INSS.
O sentido atuarial do plano de previdência foi feito para gerar lucro, baseando no próprio efeito vegetativo da população, conta matemática, aritmética pura que prova a sustentabilidade do plano no maior contingente de quem paga num espaço de tempo muito maior dos que vivem pouco para receber. Se quiserem debater em termos técnicos é só nos procurar.
Agora, se você enxertar as despesas do INSS com itens alheios aos fins a que se propõe de seguridade social, aí não tem receita que supere as despesas. Entre nessa caixa preta e veja quantas sabotagens e saídas inexplicáveis existem para saldar outras necessidades do governo.
Descendo o morro na economia do Brasil temos vários itens de peso ligados à inflação em alta, falta de qualidade, má gestão, convívio com números fingidos, falta de políticas públicas realistas, falta de políticas definidas para economia, falta de política industrial e de logística, falta de gestão das contas públicas, trato das visões micro e macroeconômicas no que tange ao mercado, às empresas e ao papel sustentável do governo como facilitador de negócios.

O que temos realmente é um governo predador que destrói a economia com juros extorsivos e impostos corrosivos. Governo que tem a parcimônia de deixar que os bancos cobrem juros e 350% ao ano só pode estar quebrando e não seria os velhinhos que lhe dariam a tábua da salvação.

A SALVAÇÃO DO BRASIL ESTÁ NA BOA GESTÃO E NÃO É ISSO QUE SE ESPERA DO PRESENTE GOVERNO:

O que esperar de uma raposa que assaltou o galinheiro e depois finge que é um pato que só estava mamando nas galinhas?
Os brasileiros sabem que têm um governo incompetente que optou pelo inchaço da máquina pública, na contramão da evolução do mundo moderno, seguindo a tendência do comunismo é aumentou o tamanho do estado e dos endividamentos internos e externos. Na linha comunista o Estado passa a ser o dono geral da economia, o maior comprador e o maior vendedor. Terra da preguiça, tudo é do Estado e até mesmo o modo de pensar das pessoas.
Enquanto os Estados Capitalistas adotam a concorrência e a meritocracia como forma de acelerar o desenvolvimento social, político e econômico, os comunistas se igualam por baixo, preferem criação de dependência, o Estado comunista aparece como salvador da pátria.

TUDO SEM CONTROLE, NÃO TEM MAIS NADA A ESPERAR DE BOM DESSE GOVERNO QUE NÃO SABE O QUE DEVE SER FEITO:

• A má gestão é generalizada dentro da assustadora dinâmica da arrecadação fiscal custe o que custar, onde o sentido empresarial de conquistar clientes perde o sentido. As empresas passaram a ser meras repassadoras de impostos abusivos.
• FALHAS DE ORIENTAÇÃO INTERNA: O governo do PT não conseguiu ainda perceber que foi descoberto como mentiroso evoluindo para pernicioso e pervertido, extremamente enganador. O maior erro de todos: o PT interpretou que com sua vitória em nas eleições de 2002, o povo brasileiro tinha lhe dado a carta branca para construir um estado comunista.
• FALHAS DE ORIENTAÇÃO EXTERNA: Os petistas não reconhecem a nova ordem mundial nas transações sociais e comerciais; não conseguem fazer a leitura dos emblemáticos mundiais em profusão, preferem o alinhamento com os comunistas. Traduzindo, os comunistas do BRASIL são os novos alienados seguidores da evolução do mal.
• Consequência: Distanciamento do primeiro mundo, a participação do Brasil diminui no comércio global. A economia deixa de ser ventilada pelos ares do modernismo

Na realidade, diferente de como pegou a administração do Brasil em 2003, o que esse governo vem fazendo em 13 anos é um voo cego completamente desamparado por técnicas modernas de gestão e alheio ao que vem sendo praticado pelos países do primeiro mundo.

Dispensando pessoal qualificado, fez questão de se manter longe da vigília das boas práticas de governança, deu no que deu, foi pego roubando. Quando o Guido Mantega entrou no Governo Lula, o próprio mercado já sabia que boa coisa não iria sair da enrolada governamental, o desmanche estava próximo. Quando o pau mandado do Tombini entrou, houve maior reforço dessa dúvida, ficou marcado que a construção do PSDB estaria com os dias contados. Quem se lembra, o Lula, em muitas vezes tentou ser único proprietário do Plano Real. Uma babaquice sem tamanho, a presidente atual passou a ordenar o Ministério da Fazenda e Banco Central.

Sabendo disso tudo como é que você deixa os velhinhos aposentados pagarem a conta sozinhos?

Os homens de bem sabem que a arte de pensar moderno é uma das exigências da nova democracia e que em pleno Século 21, vários governos sobrevivem em cima do analfabetismo político:
Faça o bem, não olhe a quem. Marketing sem fronteiras a serviço das comunidades, dos negócios e da felicidade das pessoas.
As pessoas querem conhecer outras pessoas, independente dos governos, regimes políticos, religiões e fronteiras escravocratas.
A simplicidade nunca fica sozinha. Trabalhe mais, faça mais e permita que outros façam.
Onde o vento faz a curva, você encontra as mãos que pensam e os pés que enxergam.
Vamos balançar o mundo de coisas prontas.
Os comentários anteriores são nossos esteios.
Chacattis Tadadota

Agradecemos seu comentário, seja breve, interaja e volte sempre.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: